Pages

Subscribe Twitter Facebook

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A Evangelização dos Jovens!!!

No dia 16 de outubro, acontecerá a II Cristoteca de Paraibano, com a presença do DJ Momo de Floriano - PI. Procuramos através desses eventos trazer o jovem para dentro da Igreja e tentar tirá-los um pouco das baladas em casas noturnas, fora de bebidas alcoólicas, drogas e outras coisas que rolam no "mundo da balada".

Ao iniciarmos qualquer serviço em favor da juventude, surge a pergunta: “Por onde começar?”.

Geralmente, quando o trabalho é voltado para os jovens, é sempre bom começarmos com um projeto mais descontraído, onde o jovem possa se sentir atraído e à vontade para participar. Depois, ao longo do projeto, vamos mostrando que Jesus é mais importante do que festas e bebidas e vamos incluindo o jovem na vida da comunidade para que ele consiga ver que servir a Deus é bom.

Tenham um bom dia!!!

sábado, 25 de setembro de 2010

FDS chegoou!!

Final de Semana chegooou!!!

Hoje vou só descansar, pra amanhã estar com muita energia pra curtir muito em Guadalupe - PI, um lugar lindo... onde fica a Barragem Boa Esperança!!

Espero, que assim como eu, vocês também tenham um FDS repleto de muitas felicidades e realizações... um grande abraço a todos!!!

Tenham um boom sábadoo!!! :)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

II Cristoteca de Paraibano - Com Dj Momo

Dia 16 de outubro de 2010

Essa Cristoteca promete...


A Balada Santa ou Cristoteca é um evento católico com intuito de evangelizar os jovens, principalmente os que costumam frequentar e participar de eventos realizados por casas noturnas. Sabe-se que por não encontrarem uma opção de evento religioso a juventude se lança na bebida, nas drogas etc.
Essa será a II Cristoteca de Paraibano, e será organizada pela Família Tabor, e posso afirmar, que sem dúvida, será um evento que vai ficar na história de Paraibano, porque antes, com os outros padres, nunca tinha acontecido nenhum evento como esse, e os jovens estão aprovando e se engajando cada vez mais na Igreja, principalmente depois que foi feito o Projeto Tabor aqui em Paraibano, que é um projeto que visa um melhor conhecimento do jovem em relação à Igreja.
A Balada Santa é hoje uma nova forma de evangelização, em suas mais diversas formas de existir, podemos encontrar jovens que antes não tinham lugar na Igreja para expressar sua alegria e hoje aos poucos sendo inseridos na comunidade paroquial.

In Guadalupe - PI [/curtirumpouco]

Domingo estarei em Guadalupe - PI [/novamente]

Mais uma vez em Gudalupe - PI...

Não tem nada melhor do que viajar e curtir um FDS em um lugar tão lindo como Guadalupe... e domingo estarei lá o dia todo curtindo!

Essa é mais uma organização da Dona Francisquinha, a vovó mais querida de Paraibano... hahahahahah... volta e meia ela arruma uma viagem, e como sempre, estamos dentro! hahaha

Tenham um bom dia!!! :)


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Booa Quarta-Feira aee..!!!!






Mantendo o sorriso nos lábios, faço os outros sorrirem. 
Os lábios que se abrem num sorriso bom, amigo, alegre e espontâneo são como uma flor da qual se depende o suave perfume da ternura divina.

Tenha uma linda Quarta-Feira

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Socialista ou Capitalista?




Hoje estava fazendo um trabalho de geografia sobre o socialismo e o capitalismo. Essa é uma questão muito interessante... e por isso resolvi fazer uma enquete pra saber se quem passa por aqui é capitalista ou socialista.

Vote!

Tenham um bom dia! 

sábado, 11 de setembro de 2010

Êta festa boooa!!!

A festa fooi maravilhosa!!!

A primeira vez que fomos na danceteria daqui de Paraibano, mas valeu a pena... a festa fooi booa de mais..

melhor do que essa, só outra!!! hahaha

 Dr. Toninhoo e Chaves... (ôoh prestígioo)
hahahahahaha ^o)

Dom Mateus e Dr. Toninhooo
só faltoou a cruz... hahahaha

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

É hoje!!!

Êta, que hoje a noite promete!!!

Festa a fantasia... hoje às 20:30... eu voou!!!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O Poder de um Sorriso


Um sorriso não custa nada, mas cria muitas coisas.
Dura só um momento, mas sua lembrança perdura pela vida a fora.
Não se pode comprá-lo, mendigá-lo, pedi-lo emprestado ou roubá-lo.
Não tem utilidade enquanto não é dado.
E por isso se no seu caminho encontrares uma pessoa
por demais cansado para lhe dar um sorriso, deixa-lhe o seu,
pois ninguém precisa tanto de um sorriso quanto
aquele que não tem mais um a oferecer.
Seu sorriso será tão precioso para esta pessoa
que no momento que ela receber ela sentirá a magia
da felicidade incendiar o seu viver, e ela de gratidão
lhe retornará um belo e meigo sorriso.

Ser ou Ter?

Nossa correria diária não nos deixa parar
para perceber se o que temos já não é
o suficiente para nossa vida.

Nos preocupamos muito em TER: ter isso,
ter aquilo, comprar isso, comprar aquilo.
Os anos vão passando, quando nos damos
conta, esquecemos do mais importante
que é VIVER e SER FELIZ! 

Muitas vezes para ser Feliz não é preciso
Ter, o mais importante na vida é SER.

As pessoas precisam parar de correr atrás
do Ter e começar a correr atrás do SER:
Ser Amigo, Ser Amado, Ser Gente.

Tenho certeza de que, quando SOMOS,
ficamos muito mais Felizes do que
quando Temos.

O SER leva uma vida para se conseguir e
o Ter muitas vezes conseguimos logo.

O SER não se acaba nem se perde com
o tempo, mas o Ter pode terminar logo.

O SER é eterno, o Ter é passageiro. Mesmo
que dure por muito tempo, pode não trazer
a Felicidade... E é aí que vem o vazio
na vida das pessoas...

Por isso, tente sempre SER e não Ter.
Assim você sentirá uma Felicidade
sem preço!

Espero que você deixe de cobrar o que
fez e o que não fez nos últimos anos e
que você tente o mais importante:

SER FELIZ

Só sabemos fazendo!

Nós estamos fazendo uma experiência muito interessante e, principalmente, importante para a nossa vida. A partir de hoje, começamos a cuidar da casa e fazer comida... alguns reclamaram, argumentando que é ruim trabalhar na cozinha. Todos sabemos que não é bom, mas o propósito dessas atividades atribuídas a nós, é para que nós saibamos entender e saber como a nossa mãe trabalha pra fazer comida, limpar a casa, lavar roupa... e tudo isso a gente tá fazendo... só assim a gente aprende a valorizar o trabalho de nossas mães!!!

Acabou a folga!!!






Olá galera!!!

Passando pra desejar que todos tenham uma quarta-feira repleta de muitas felicidades...

Abraçooos... voou estudar!!! hahaha

terça-feira, 7 de setembro de 2010

* ___ *


tenham um boom sonoo!!!


Abraços!

Fuii!!!

Bom dia, amigos!

Nada melhor do que um feriado em plena terça-feira, hein?

Tenham um boom dia...

Dia da Independência!




A independência do Brasil, enquanto processo histórico, desenhou-se muito tempo antes do príncipe regente Dom Pedro I proclamar o fim dos nossos laços coloniais às margens do rio Ipiranga. De fato, para entendermos como o Brasil se tornou uma nação independente, devemos perceber como as transformações políticas, econômicas e sociais inauguradas com a chegada da família da Corte Lusitana ao país abriram espaço para a possibilidade da independência.

A chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil foi episódio de grande importância para que possamos iniciar as justificativas da nossa independência. Ao pisar em solo brasileiro, Dom João VI tratou de cumprir os acordos firmados com a Inglaterra, que se comprometera em defender Portugal das tropas de Napoleão e escoltar a Corte Portuguesa ao litoral brasileiro. Por isso, mesmo antes de chegar à capital da colônia, o rei português realizou a abertura dos portos brasileiros às demais nações do mundo.

Do ponto de vista econômico, essa medida pode ser vista como um primeiro “grito de independência”, onde a colônia brasileira não mais estaria atrelada ao monopólio comercial imposto pelo antigo pacto colonial. Com tal medida, os grandes produtores agrícolas e comerciantes nacionais puderam avolumar os seus negócios e viver um tempo de prosperidade material nunca antes experimentado em toda história colonial. A liberdade já era sentida no bolso de nossas elites.

Para fora do campo da economia, podemos salientar como a reforma urbanística feita por Dom João VI promoveu um embelezamento do Rio de Janeiro até então nunca antes vivida na capital da colônia, que deixou de ser uma simples zona de exploração para ser elevada à categoria de Reino Unido de Portugal e Algarves. Se a medida prestigiou os novos súditos tupiniquins, logo despertou a insatisfação dos portugueses que foram deixados à mercê da administração de Lorde Protetor do exército inglês.

Essas medidas, tomadas até o ano de 1815, alimentaram um movimento de mudanças por parte das elites lusitanas, que se viam abandonadas por sua antiga autoridade política. Foi nesse contexto que uma revolução constitucionalista tomou conta dos quadros políticos portugueses em agosto de 1820. A Revolução Liberal do Porto tinha como objetivo reestruturar a soberania política portuguesa por meio de uma reforma liberal que limitaria os poderes do rei e reconduziria o Brasil à condição de colônia.

Os revolucionários lusitanos formaram uma espécie de Assembleia Nacional que ganhou o nome de “Cortes”. Nas Cortes, as principais figuras políticas lusitanas exigiam que o rei Dom João VI retornasse à terra natal para que legitimasse as transformações políticas em andamento. Temendo perder sua autoridade real, D. João saiu do Brasil em 1821 e nomeou seu filho, Dom Pedro I, como príncipe regente do Brasil.

A medida ainda foi acompanhada pelo rombo dos cofres brasileiros, o que deixou a nação em péssimas condições financeiras. Em meio às conturbações políticas que se viam contrárias às intenções políticas dos lusitanos, Dom Pedro I tratou de tomar medidas em favor da população tupiniquim. Entre suas primeiras medidas, o príncipe regente baixou os impostos e equiparou as autoridades militares nacionais às lusitanas. Naturalmente, tais ações desagradaram bastante as Cortes de Portugal.

Mediante as claras intenções de Dom Pedro, as Cortes exigiram que o príncipe retornasse para Portugal e entregasse o Brasil ao controle de uma junta administrativa formada pelas Cortes. A ameaça vinda de Portugal despertou a elite econômica brasileira para o risco que as benesses econômicas conquistadas ao longo do período joanino corriam. Dessa maneira, grandes fazendeiros e comerciantes passaram a defender a ascensão política de Dom Pedro I à líder da independência brasileira.

No final de 1821, quando as pressões das Cortes atingiram sua força máxima, os defensores da independência organizaram um grande abaixo-assinado requerendo a permanência e Dom Pedro no Brasil. A demonstração de apoio dada foi retribuída quando, em 9 de janeiro de 1822, Dom Pedro I reafirmou sua permanência no conhecido Dia do Fico. A partir desse ato público, o príncipe regente assinalou qual era seu posicionamento político.

Logo em seguida, Dom Pedro I incorporou figuras políticas pró-independência aos quadros administrativos de seu governo. Entre eles estavam José Bonifácio, grande conselheiro político de Dom Pedro e defensor de um processo de independência conservador guiado pelas mãos de um regime monárquico. Além disso, Dom Pedro I firmou uma resolução onde dizia que nenhuma ordem vinda de Portugal poderia ser adotada sem sua autorização prévia.

Essa última medida de Dom Pedro I tornou sua relação política com as Cortes praticamente insustentável. Em setembro de 1822, a assembleia lusitana enviou um novo documento para o Brasil exigindo o retorno do príncipe para Portugal sob a ameaça de invasão militar, caso a exigência não fosse imediatamente cumprida. Ao tomar conhecimento do documento, Dom Pedro I (que estava em viagem) declarou a independência do país no dia 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga.